Energia Solar Fotovoltaica Residencial: Custo Benefício

Muitas pessoas ainda têm dúvidas quanto a energia solar fotovoltaica residencial, mas não é para menos, é uma tecnologia aparentemente nova. A energia fotovoltaica é a energia elétrica produzida a partir de luz solar, e pode ser produzida mesmo em dias nublados ou chuvosos. Pois quanto maior for a radiação solar, maior será a quantidade de eletricidade produzida.

O processo de conversão da energia solar é simples, pois utiliza células fotovoltaicas de silício ou de algum material semicondutor. Quando a luz solar bate em uma célula fotovoltaica, os elétrons do material semicondutor são postos em movimento, por sua vez gera eletricidade.

Vantagens da Energia Solar

A simples possibilidade de se utilizar energia solar, já é considerada uma grande vantagem, e com a devida tecnologia adaptada para diversos tipos de necessidade, pode fazer sua conta de luz reduzir quase 100%. A energia solar possui outro ponto positivo, a não emissão de poluentes.

Em relação a manutenção, uma vez instaladas as placas (painéis), o custo de manutenção é mínimo. Isso torna cada vez mais a energia solar uma solução financeira, plenamente viável.

E se tratando de Brasil que é um pais tropical, a utilização da energia solar é viável em praticamente todo o território, como em locais longe dos grandes centros de produção energética. Sua utilização ajuda a diminuir a procura energética nestes locais remotos e consequentemente a perda de energia que ocorreria na transmissão.

Detalhes considerados ao escolher um Painel Fotovoltaico

Existe variação na quantidade de energia produzida de acordo com a situação climatérica (chuvas, neve), além de que durante a noite não existe produção alguma, o que obriga que existam meios de armazenamento da energia produzida durante o dia em locais onde os painéis solares não estejam ligados à rede de transmissão de energia. Uma ótima solução para não ter problemas com isso é o sistema On-Grid, esse tipo de sistema é conectado à rede da concessionária e quando for necessário ele vai injetar ali a energia não consumida imediatamente pela unidade geradora e, mais tarde, abater esses quilowatts extras nas contas de energia.

Nesse sistema, a rede de distribuição padrão opera como uma espécie de bateria infinita, armazenando a produção energética extra e garantindo o fornecimento de energia à propriedade quando não há incidência de raios solares e nos períodos noturnos. Um quilowatt-hora extra produzido pelo sistema fotovoltaico equivale a 1 crédito de kWh, que poderá ser consumido até 60 meses depois.

Locais em latitudes médias e altas (Ex.: Finlândia, Islândia, Nova Zelândia e Sul da Argentina e Chile) sofrem quedas bruscas de produção durante os meses de inverno devido à menor disponibilidade diária de energia solar. E em locais com frequente cobertura de nuvens, tendem a ter variações diárias de produção de acordo com o grau de nebulosidade.

As formas de armazenamento da energia solar são pouco eficientes quando comparadas por exemplo aos combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás), e a energia hidroelétrica (água). Os painéis solares têm um rendimento de apenas 17%.

Quanto custa a Energia Solar Fotovoltaica?

Para se ter uma noção do custo de um sistema de energia solar fotovoltaico é preciso levar em consideração principalmente o histórico de consumo de energia dos últimos 12 meses. O posicionamento do telhado, se é para o norte ou sul, e qual tipo de telhado para saber o tipo de fixação que será utilizada. O preço é medido através do consumo: Para um consumo de 200Kw =sistema de 1,5Kw.

Você gostaria de instalar energia fotovoltaica na sua casa ou empresa e nunca mais se preocupar com a conta de Luz? A WAV tem as melhores opções!

Como funciona o Sistema de Energia Solar para condomínios

Além da economia para o consumidor, um sistema solar fotovoltaico tem grande impacto no meio ambiente. Sistemas solar fotovoltaicos não emitem gases poluentes, fazendo com que esta tecnologia ajude a reduzir significativamente a poluição do meio ambiente causada pelas fontes de energia convencionais, como usinas de gás ou carvão.

Com o sistema e a instalação certos, o cliente não tem desvantagem. Há sempre um sistema backup caso não haja sol. Assim, o consumidor sempre terá energia em casa.

Entrou em vigor a nova resolução nº 687/2015 da ANEEL, que, entre outras mudanças, permite que vários consumidores se reúnam em um consórcio ou cooperativa para instalar um sistema de geração solar fotovoltaica e dividam a energia gerada. Essa é uma boa opção para quem mora em condômino.

A partir de agora, quem mora em apartamentos, condomínios ou não tem área suficiente para instalar seu sistema fotovoltaico também pode gerar sua própria energia, contribuir com o meio ambiente e economizar.

Sugestões de como fazer para obter estes benefícios

Monte seu grupo com pelo menos 3 vizinhos e identifique o consumo de cada um; Entre em contato com a WAV, para analisarmos a melhor alternativa para seu caso;

É preciso também informar a concessionaria a divisão da energia, na qual pode ser informada junto com a documentação do projeto para a aprovação, ou após a aprovação do projeto. Ela pode ainda ser alterada a cada 6 meses.

É importante lembrar que é possível gerar energia para os apartamentos individualmente e para as áreas comuns. Os sistemas de geração solar fotovoltaica podem ser dimensionados para as necessidades específicas de cada cliente. Podem ser instalados em áreas não utilizadas do condomínio;

O custo para instalação de sistemas maiores é proporcionalmente menor; ou seja, quanto maior o sistema menor o custo por KWP instalado. Esta redução pode chegar a 30% do valor do sistema.

A WAV cuida de todo o processo, desde a análise e definição do melhor sistema e local para instalação até a aprovação na concessionária e entrega do sistema gerando energia. Entre em contato conosco.

Clique aqui e confira também Energia Solar residencial como funciona?

 

Solicite um Orçamento